O Que Empreendedores Podem Aprender Com o Homem Que Já Deveria Ter Morrido? (Segundo Os Médicos)

Olha que cena de gelar o sangue..

Seu sangue aos poucos parava de fornecer oxigênio aos órgãos. Em seguida, um zumbido forte, dores no peito e uma necessidade urgente de respirar. Era a força da vida deixando seu corpo. Vida e morte em uma batalha para ver quem seria o vencedor.

Ele sentia dores. Sua saúde física e mental estavam em jogo. Estava em jogo também a sua carreira. E mesmo assim o homem quis ficar no tanque mais tempo. Mesmo estando perto do afogamento.

O homem no tanque é David Blaine. E a sua profissão é desafiar a Medicina e fazer o que todos consideram impossível.

Como assim?

Bem, David Blaine é um mágico. Sabe? Tipo Mr. M ou David Copperfield?
Mas, como pode ver, ele não é um mágico qualquer. Ele só faz o que os outros dizem ser “impossível”.

Um sonho da infância. Quando escutava histórias sobre o mágico Houdini, aquele famoso que ficava amarrado embaixo d’água por mais de 3 minutos.Bem, esse recorde o David superou ainda adolescente.

E achava-se o máximo por isso. Superar a lenda que o inspirou? Quem não se acharia? Até que ouviu falar de uma criança que caiu num lago por muito mais tempo do que isso. E quando a equipe de resgate chegou, milagrosamente essa criança ainda estava viva e passando bem.

Foi aí que ele se sentiu fraco. 

Saber que alguém ficou muito mais tempo, fez David ter o desejo de ir até às últimas consequências para superar o tal menino. Superar qualquer um.

Mas tinha um problema. “Qualquer um que fica mais do que 6 minutos sem respirar, pode ter lesões cerebrais graves, podendo até ficar em estado vegetativo pelo resto da vida”, alertou o médico de David quando soube. Mandou desistir da “ideia maluca”.

Não foi o que David fez.

Em vez disso, começou a planejar como superar qualquer limite. Soube que o recordista mundial de segurar o ar embaixo d’água era Tom Sietas, com tempo de 9 minutos.

 

Decidiu que faria de tudo para vencê-lo.

Aprendeu que para ficar mais tempo precisaria de 3 coisas:

  • Ficar imóvel. 
  • Diminuir sua frequência cardíaca
  • E relaxar.

Isso mesmo, relaxar, mesmo sob pressão e quase morrendo. Impossível, né?

Passou a treinar duro por meses. Estando a ponto de superar o rival. Mas a vida não é fácil para David. Soube que Tom se beneficiava de melhor constituição física para segurar o ar, por ser muito magro.

E agora? De novo a Medicina dizendo: “Isso não é pra você”. O que David poderia fazer? Simples: Dieta. Perderia 22kg em 3 meses. Como? Treinar mais ainda, comer quase nada. Com isso, sua frequência cardíaca caiu para 38 por minuto.

Mais baixo que muito atleta olímpico, que é de 40 a 50, em média.

Saber isso abasteceu-o com uma energia mágica. “Esse recorde já é meu”, pensava. O mundo conheceria sua vitória. Ficaria 10 minutos embaixo d’água e voltaria bem, rindo dos médicos.

Até que outro mergulhador foi lá e quebrou o recorde mundial. Colocando o recorde em 16 minutos 32 segundos. Muito mais do que David havia se preparado. Ficou arrasado.

Mas só até o dia seguinte, quando decidiu treinar mais. Até o esgotamento.

A questão é que não bastava ser o melhor. Os médicos alertaram ele. Havia riscos maiores por tanto tempo. Não era só os danos cerebrais. Poderia ser o fim. David poderia morrer.

Mas ele é o mágico que desafia a Medicina. Que não desiste. E faz magia acontecer. Ligou pra Oprah pedindo 1 hora no programa. Ela topou.

Dia do Show. Sua vida em risco e a chance de sair de lá numa cadeira de rodas. Entrou no tanque feito pela produção do programa. Aquele redondo da foto. Meta: reduzir os batimentos, só assim quebraria o recorde.

Começou!

Tinha um monitor no peito. Não baixava de 120. “Droga! Tenho que reduzir muito mais. Vou me acalmar”. 5 minutos se passaram, nada. Nervoso, só elevou os batimentos. 150 agora.

Metade da meta (8 min), batimentos em 100, se não reduzisse pela metade ficaria só mais alguns minutos. Dando adeus ao recorde. Seria também o fim de sua carreira – destino pior que a morte.

Em 10 minutos. Mãos e pés começaram a formigar fortemente. Em 11, sangue parou de fornecer oxigênio aos órgãos. Começou os zumbidos e uma tremedeira. 13 min, dores no peito e a necessidade urgente de respirar.

Em 15 minutos o coração enlouqueceu: batimentos a 120, 50, 40, 20, 150! Chegando em 16, pensou em desistir. O coração parou. Aí voltou. Parou. Voltou. Teria um ataque cardíaco logo. O cérebro apagou e voltou também. A morte se aproximava. Sentia isso.

E ouviu algo inimaginável: gritos e aplausos. “Será que morri? Isso é o Céu?, pensou. Notou então que ainda era o palco. E a plateia estava eufórica. David havia superado o recorde: 16min 34 seg sem respirar. E estava bem. Vivo. São. Já podia sair…

“Sair? Contagiado com essa energia? Quero ser o líder insuperável”, planejou David submerso, ficando mais. Muito mais. Atingindo 17 min 4 seg sem respirar. Quando saiu do tanque, a equipe médica constatou que ele passava bem. Um feito impossível, segundo a ciência.

“Como mágico, tento mostrar às pessoas coisas que parecem impossíveis. Mágica é prática, treino e experimentação enquanto me esforço através da dor para ser melhor do que posso ser”, disse emocionado.

David conseguiu algo que parecia sobre-humano. Nunca ninguém havia feito aquilo.

E ele só conseguiu porque além da determinação ele tinha técnica. Ele tinha processo. Ele tinha método.

Você, com o seu negócio, deve ter uma determinação muito forte, mas se não tiver um método, não vai ser o suficiente.

A gente foi conversar com empreendedores em vários lugares diferentes que conseguem resultados muito acima da média.

Resultados como:

– Aumentar o Faturamento Em 10X Como Apenas Uma Alteração no Marketing
– Ser a Empresa Mais Cara Da Sua Região, E Ainda Ter Filas De Clientes Querendo Comprar.
– Dobraram a Quantidade De Cliente Em 7 Semanas.
– Entre Muitos Outros.

O que essas pessoas têm em comum?

Elas têm um método para gerar mais demanda do que elas dão conta.

 

Fonte: Pedro Superti

Comentários estão fechados.